TEXTO: Não preciso de alter ego

2 de fev de 2017
alter ego, amor próprio

Faz um tempo que terminei um livro em que a menina utilizava do seu alter ego para poder se sentir melhor e fazer coisas das quais nunca teve coragem. Por alguns momentos até pensei que essa era mesmo uma boa ideia, afinal, quem não queria simplesmente se perder de seus medos e concluir coisas que lhe pareciam inatingíveis? 

Antigamente eu me utilizava de uma mistura de Ramona Flowers com Blair Waldorf para tomar decisões difíceis ou lidar com situações que eu não fazia ideia de como passar. É até normal criar a sua própria versão heroína e tentar se basear nela pra viver coisas que você não conseguiria sozinha, mas chega um momento em que você percebe: ninguém além de si mesma estava fazendo aquelas coisas.

Não era ninguém de capa e roupa colada que estava desbravando aquela situação e carregando todas as consequências nas costas. Era você e, no meu caso, era eu. Nada mágico ou fora do normal, apenas eu, uma garota crescendo e entendendo que não se precisa de um brasão enorme no peito pra mostrar que era independente e forte. Assim como já não precisa pensar em "What would Blair Waldorf do?" pra tomar decisões ou escolher a roupa pela manhã. Tudo que era preciso era levantar e ser eu mesma, sem superforça ou visão raio-x mas mesmo assim sobreviver.

Pode parecer meio tolo ou até mesmo sem graça mas esse foi o momento em que finalmente vi que não precisava de uma heroína, só precisa de mim mesma e acima de tudo, ser eu mesma. Com todos os meus medos e minhas incertezas, elas que me dariam ainda mais força pra passar pelos perrengues da vida. De que me adiantaria ser uma heroína sem medo algum e não precisar fazer nada pra vencer meus medos, simplesmente esmagar todos eles, sem esforço algum?

Nossas lutas diárias é o que nos faz ainda mais fortes, nos torna admiráveis aos outros olhos e, ainda mais importante, aos nossos próprios olhos. Vai me dizer que nunca pensou no quanto era maravilhosa quando finalmente conseguiu aquela promoção ou aquela nota alta? Mesmo com coisas pequenas como essas, as realizações se tornam ainda mais prazerosas. E super merecidas, afinal, mesmo com o medo de errar ou não conseguir você lutou, se esforçou e se superou.

Depois de tantas conquistas a gente percebe que ser incrível é ser nós mesmas. Sem complicações, simples assim.

Vocês já se sentiram assim? Por quais sonhos vocês tem lutado ultimamente? Beijão e até a próxima!

+ O QUE FAZER QUANDO SE SENTE UM LIXO
+ TEXTO: BORRÕES DE TINTA AZUL

14 comentários:

  1. Nossa, sim, já fiz muito isso. No meu caso, eu sempre tentava agir como Hermione nos momentos que não sabia exatamente o que fazer, principalmente na faculdade.
    Acho que uma das coisas mais difíceis da minha vida até agora é aprender a ser eu mesma. Bem barra, nunca tô satisfeita com o que posso oferecer.

    Adorei seu post e seu blog, beijos!

    Capricati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que conseguimos ser nós mesmas quando paramos de tentar, sabe? Simplesmente sabemos como agir e tal. Espero que consiga isso, não tem nada melhor do que ser quem você realmente é! haha Beijão Tati

      Excluir
  2. Nunca consegui lidar com essa coisa de alter ego. sei lá, acho que nunca criei versões de mim (apesar de ser geminiana, então sei lá). Quando estou em situações que preciso manter o controle, eu busco uma paz interna e um acordo com o espelho ;) e saltos. parece fútil, mas ajuda.

    Beijo meu,
    Mafê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é bem legal, Mafê! E, por incrível que pareça, não parece fútil, não mesmo. Beijão

      Excluir
  3. Você me fez parar pra pensar agora em uma coisa que eu nunca tinha prestado atenção: sempre fui eu.
    Eu sempre tive muita dificuldade em defender seminários na escola, na faculdade eu decidi que não seria mais assim, porque eu precisava ser melhor mesmo, sempre tirava notas ruins por isso. Então eu decidi que quando eu estivesse lá na frente, eu fingiria que eu seria outra pessoa, assim, lá na frente eu conseguiria porque, afinal, não era eu. Deu certo. Com o tempo fui me acostumando com a personagem e a dinâmica foi sendo usada em outras coisas. Falar com pessoas pela primeira vez, encarar multidões, ter se impôr em algum momento, ter um posicionamento mais firme me fazia pensar que eu não era capaz, mas que se eu fosse outra pessoa, eu seria, então lá vai eu, brincar de ser outra pessoa. Quando de fato, era apenas eu. Eu era aquela pessoa firme, eu era convicta sim, o tempo todo era eu mesma.
    Amei o texto, de verdade ♥

    www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você foi forte e enfrentou várias coisas mas só se deu conta agora, né? haha Na minha opinião esse é o "dark side" do alter ego, você acaba se escondendo demais e duvidando demais de si mesma. Fico felizzzzzz demais por ter gostado de texto ♥ Beijão

      Excluir
  4. Eu acredito que nunca criei alter egos, mas nem sempre fui satisfeita com quem eu era ou as escolhas que eu tomava. Depois de um tempo, bons perrengues e as rasteiras básicas que a vida dá, eu reconheci que não importa o que eu faça ou diga, coisas ruins vão acontecer. Mas coisas boas também vão, porque esse é o curso da vida. Quando eu parei de me cobrar tanto e aceitar cada um dos meus acertos e erros eu passei a ver a vida de um jeito mais bonito.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa gostosa de se ler! É muito bom quando finalmente deixamos de lado a cara "carrancuda" e passamos a ser até mais leves, né? Beijão

      Excluir
  5. Em primeiro momento assumir um alter ego parece uma boa ideia, só que depois fica aquele 'não fui eu mesma que fiz isso', por isso eu acho melhor eu mesma fazer e se for para se arrepender que seja depois
    beijos
    lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho melhor, Tay! Mas as vezes não é tão fácil quanto parece... Beijão

      Excluir
  6. Gostei muito!!
    Estou a seguir, adorei o blog :)

    http://comeonshine.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. As pessoas tem que gostar da gente como somos, mas as vezes um pouco de alter ego não faz mal a ninguém, kkkkkkkkk, beijos no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha Aí já vai de cada um, né? hahah Beijo

      Excluir

Muito obrigada por visitar o QSM! Nos conte o que achou, sua opinião é muito importante ❤